Music can change the world because it can change people.

Bono

ULTRAVIOLET-U2 Brasil

você está em
Notícias

Voltar
lista de notícias

16 dezembro 2012 21:06

por: febottini


Neil McCormick, 51, é um jornalista musical respeitado, crítico chefe de rock do jornal inglês “Daily Telegraph”. É figura fácil na BBC e foi editor da “Q”, uma das maiores revistas de música do planeta.

Mas ele queria ter sido muito mais. McCormick queria ter sido Bono, líder do U2, como faz questão de lembrar no divertido livro “Morte a Bono”, que será lançado no Brasil no início de 2013.

Não é apenas um desejo. Ele e o irmão mais novo, Ivan, estudaram com os integrantes da banda no colégio Mount Temple, em Dublin.

Ivan, inclusive, fez parte da formação inicial do U2 -antes mesmo de ter esse nome. Neil, querendo fazer sucesso por conta própria, resgatou o irmão e criou com ele várias bandas que nunca vingaram.

Eu e Bono começamos juntos com os mesmo sonhos roqueiros”, recorda o jornalista. “Mas ele foi parar no topo da música, enquanto eu afundei sem perdão.”

McCormick não guarda mágoas ou se arrepende de ter convencido o irmão a deixar o U2 nos anos 1970.
“Eu não me culpo. Chegamos perto do sucesso e falhamos juntos”, ressalta Neil.

Ivan tem muito orgulho de falar que fez parte do U2, mas não se ilude com o fato. Ele tinha 13 anos quando deixou a banda e, naquela época, era um bando de moleques tocando versões horríveis de Deep Purple e Rory Gallagher.”

Uma coisa, pelo menos, McCormick conseguiu preservar: a amizade do líder do U2.

Apesar do título polêmico “Morte a Bono”, os dois se falam até hoje e o escritor sempre é convidado para assitir aos shows do grupo.

Bono que deu a ideia do nome do livro. Ele estava me contando que iria cantar com Frank Sinatra e compor uma música para 007. Eu disse que ele estava vivendo minha vida”, lembra.

Bono falou: ‘Se você quiser sua vida de volta vai ter de me matar’.”

De certa maneira, o irlandês famoso estava certo. “Morte a Bono” foi um sucesso de vendas e virou filme (inédito no Brasil), ano passado, com Ben Barnes (“Crônicas de Nárnia”) no papel de Neil.

O filme é bem engraçado, mas não substitui minha vida ou minhas memórias”, afirma o jornalista.

Quando vi pela primeira vez, quis sair rastejando do cinema de vergonha. Pelo menos, eu virei um idiota bonitão na tela.” (rodrigo salem)

MORTE A BONO
AUTOR Neil McCormick
EDITORA Martins Fontes/Martins
QUANTO a definir (416 págs.)

Fonte: Folha de S. Paulo

Agradecimentos: Alexander Canale

UltraViolet-U2 no Twitter: https://twitter.com//ultravioletu2
UltraViolet-U2 no Facebook: https://www.facebook.com/UltravioletU2Brasil

Comentários

Não há comentários.

Busca

Assine

Lista de Discussão

Converse com os fãs do U2 por .

Redes Sociais

Facebook Twitter Google Plus RSS

Anúncios

Coloque seu anúncio aqui.

Contribua

Se você tem alguma dica de notícia sobre o U2 que ainda não publicamos, por favor envie-nos um email. O nosso endereço é dicas@ultraviolet-u2.com.

Por favor indique a fonte da notícia e, se houver uma foto que ilustre a notícia, anexe a foto ao seu email.

Nós Apoiamos

GRAAC Conheça mais sobre o GRAAC. Assista o vídeo. Você também pode ajudar. Faça uma doação ao GRAAC.
Ultraviolet