Music can change the world because it can change people.

Bono

ULTRAVIOLET-U2 Brasil

você está em
Notícias

Voltar
lista de notícias

13 maio 2011 16:51

por: Márcio Guariba

Hoje faz…

3 comentários
2216 visitas
Geral

Tá bom, tá bom…

Hoje é o aniversário de um mês do primeiro show em São Paulo. Dia 13, data do aniversário do último dia, vou publicar a quarta parte do especial “U2 no Brasil, pelos fãs!” para comemorar. Mas, exatamente hoje, há 18 anos, uma das figuras mais amadas e engraçadas da história da banda nascia. Quem?

Sim, UV’s, o nosso demônio preferido… Mr. MacPhisto!

Aconteceu exatamente hoje, há 18 anos atrás, o primeiro show da “Zooropa Tour”, segunda parte européia da “ZOO TV”, que foi lançada um pouco antes de “Zooropa”, o disco. A apresentação aconteceu no Feyenoord Stadium, em Roterdã, na Holanda, e foi a primeira vez que Bono vestiu o terno dourado e os chifres vermelhos para a caracterização do personagem, que veio para substituir o “Mirrorball Man”, outro alter-ego, que parodiava os tele-evangelistas americanos.

Mr. MacPhisto, claro, é uma brincadeira com o demônio Mefistófeles, da história folclórica alemã de Fausto, escrita por Goethe. Com um ‘Mac’, tradicional sobrenome irlândes. A personagem é uma sátira aos velhor popstars decadentes, muito inspirada na fase Las Vegas de Elvis Presley.


Segundo Bono, a personagem foi criada um dia antes, no ensaio para o mesmo show. Inicialmente chamado de “Mr. Gold”, ele se inspirou em uma personagem da peça “The Black Rider”, colaboração teatro-musical de Tom Waits, William Burroughs e Robert Wilson, baseada no mesmo conto de Goethe, que foi encenada no teatro britânico em 1990.

Assim como nas outras partes da “ZOO TV”, Bono iniciava o bis travestido do personagem, para interpretar as últimas cinco músicas do set list; “Desire”, que foi transformada com guitarras distorcidas e vocal narrado, “Ultra Violet (Light My Way)”, onde Bono abusava da influência de Frank Sinatra e Scott Walker, “With or Without You”, numa versão pra lá de canastrona, “Love is Blindness”, quando invariavelmente puxava uma garota da platéia para dançar, sempre com um ar tristonho, e para cover de “Can’t Help Falling In Love”, de Elvis Presley, homenagem óbvia, que juntava perfeitamente a criatura a sua maior referência.

Mais tarde, quando a turnê chegou a Oceania e a Ásia, as duas primeiras deram lugar a duas faixas do álbum “Zooropa”; “Daddy’s Gonna Pay For Your Crashed Car”, quando Bono, ainda no backstage, cantava metade da música ao se maquiar, com um ar debochado sensacional, e “Lemon”, cantada em falsete, numa versão perfeita.

Mas não era só de musicas que se resumia esta parte mais ‘cênica’ do show; No intervalo das duas primeiras canções, Bono sempre ligava para alguma celebridade ou para algum político local. Se durante a primeira parte da turnê, ainda como Mirrorball Man, ele infernizou George Bush pai, nesta perna da excursão, tivemos pessoas como o escritor Salman Rushdie (que mais tarde colaboraria com Bono na letra de “The Ground Beneath Her Feet”), Luciano Pavarotti (outro que acabou em parceria, “Miss Saravejo”), a banda Clannad, com quem Bono fez uma parceria nos anos 80, entre outros. 

Sobre o personagem, Bono disse no livro “U2 by U2”; “Para esse personagem, MacPhisto, nós viemos com a idéia de um velho diabo inglês, um pop star com um passado primoroso, retornando regularmente à cada estação ao The Strip em Las Vegas e alegrando qualquer um que escutasse suas histórias dos bons e maus dias. Havia uma certa empolgação nele. Gavin Friday me disse, ‘Se você quer fazer um diabo, você tem que ter chifres’. Eu disse, ‘Sim, mas eu não estou usando chifres. Eu vou parecer ridículo’. Ele disse, ‘Você precisa de chifres vermelhos’. E ele os mandou fazer. Eu os coloquei e ficou com um visual muito doido, mas ajudou, porque quando você está fantasiado de diabo a sua fala fica completamente falsificada, e se você falar para alguém que você realmente gosta do que ele está fazendo, você sabe que isso não é um elogio. Nós costumávamos ligar para os escritórios de políticos fascistas, como Jean-Marie Le Pen, e bajulá-los em frente a sessenta ou setenta mil pessoas. Eu liguei para a Alessandra Mussolini, a neta do ditador italiano, que estava começando a se envolver na política e nós tínhamos setenta mil pessoas cantando, ‘Eu apenas liguei para dizer que eu te amo’ na sua secretária eletrônica. Eu liguei para o arcebispo de Canterbury e disse para ele que eu adorava o que ele estava fazendo e que era maravilhoso que a igreja não parecia tomar partido de nada. Isso foi a morte, querido! Durante os nossos shows na Itália, em um momento de performance artística, eu me filmei andando pela praça do Vaticano. Nesse momento o MacPhisto desenvolveu uma maneira de andar mancando, e eu tinha uma bengala e ia enxotando os pássaros, vestido como o diabo, andando pela praça do Vaticano, murmurando ‘Um dia, tudo isso vai ser meu. Ah não, eu esqueci, isso é meu!” 

Edge também fala do personagem no livro; “Esse personagem era um grande artifício para se dizer justamente o oposto do que você quer. Ele ia certo na questão e com um humor real. Cada cidade apresentava uma nova variedade de possibilidades e opções, então havia grandes discussões sobre o que nós deveríamos fazer, com muito planejamento do Bono e do Willie. Uma das idéias foi ligar para o ministro da pesca na Noruega, Jan Henri Olsen, para parabenizá-lo pela pesca de baleias, que foi esquecida pela União Européia, mas legalizada na Noruega. Ele atendeu ao telefonema e convidou o Bono para ir comer um filé de baleia com ele.”


O show teve a abertura dos Utah Saints e da banda local Claw Boy Claw. O set list deste show foi praticamente o mesmo que vinha sendo apresentado até então. As músicas de “Zooropa” foi sendo colocadas aos poucos, durante a turnê.

  1. Zoo Station”
  2. The Fly”
  3. Even Better Than The Real Thing”
  4. Mysterious Ways” / “Love To Love You Baby”
  5. One” / “Unchained Melody”
  6. Until The End Of The World”
  7. New Year’s Day”
  8. Tryin’ To Throw Your Arms Around The World”
  9. Wedding March” / “Angel Of Harlem”
  10. When Love Comes To Town”
  11. Satellite Of Love”
  12. Bad” / “Fool To Cry” / “All I Want Is You”
  13. Bullet The Blue Sky”
  14. Running To Stand Still”
  15. Where The Streets Have No Name”
  16. Prinde (In The Name Of Love)”
  17. Desire”
  18. Ultra Violet (Light My Way)” / “My Way”
  19. With Or Without You” / “Shine Like Stars”
  20. Love Is Blindness”
  21. Can’t Help Falling In Love”

A personagem acabou eternizado no lançamento em vídeo, e posteriormente em DVD, “ZOO TV Live From Sidney”, no final de 1994. Naquela oportunidade, Bono faz um discurso inesquecível, resolve ligar para a companhia de taxi local para solicitar um para poder ir embora para casa, porque estava cansado…

Na minha opinião, as personagens da “ZOO TV” são, de longe, os momentos mais memoráveis da história do U2 ao vivo. Tanto Mr. MacPhisto quanto os outros dois (o já citado Mirrorball Man, como também o cínico “The Fly”, que abria os shows) deram algo que a banda nunca teve; Ironia. E nós todos adorávamos ser ironizados pela genialidade kitsch daquilo tudo…

Como ele mesmo dizia; “Off with the horns… On with the show…”

Comentários

Juliana Guimarães

Adoreeeiiiii o texto! Saudades do Mr. Macphisto!

Alguém tem esse video do Bono (MacPhisto) no Vaticano?

Nunca entendi o q realmente Bono queria dizer com essa identidade. Era mais uma crítica ao curso que o mundo toma?
Alguem me explica rsrsrrsrs? meu raciocínio é meio lento.

Busca

Assine

Lista de Discussão

Converse com os fãs do U2 por .

Redes Sociais

Facebook Twitter Google Plus RSS

Anúncios

Coloque seu anúncio aqui.

Contribua

Se você tem alguma dica de notícia sobre o U2 que ainda não publicamos, por favor envie-nos um email. O nosso endereço é dicas@ultraviolet-u2.com.

Por favor indique a fonte da notícia e, se houver uma foto que ilustre a notícia, anexe a foto ao seu email.

Nós Apoiamos

GRAAC Conheça mais sobre o GRAAC. Assista o vídeo. Você também pode ajudar. Faça uma doação ao GRAAC.
Ultraviolet