Especial U2:Show, Parte 2

Especial U2:Show, Parte 2

Especial U2:Show – Parte 2: Frank Barsalona e Barbara Skydel

Okay, continuando então com mais coisas legais que achei nesse livro, agora no artigo do pessoal da Premier Talent, a empresa americana responsável pelos shows e turnês do U2 nos Estados Unidos, de 1980 a1997. Quem fala agora é Frank Barsalona e Barbara Skydel. Ambos foram citados pelo Bono no seu discurso no Rock´n´Roll Hall of Fame.

Primeiro vejam como Barbara Skydel descreve o primeiro show deles no Ritz Ballroom. Ela conta que o lugar era gerenciado por um cara chamado Jerry Brandt, que gostava de trazer bandas da Europa pra tocar. O U2 era totalmente desconhecido, e ninguém sabia se alguém iria aparecer. Seguindo então com a descrição dela:

Jerry fez a divulgação usual do show. As pessoas vinham ao Ritz porque era o lugar pra se ir, e eu acredito que era um sábado à noite. Então o público iria se formar aos poucos. Eles vinham pra dançar, não necessariamente pra ver aquela banda de abertura, porque nunca haviam ouvido falar deles. O U2 começou a tocar e talvez umas 10 pessoas se aproximaram. E depois umas 20. Lá pela metade do show, o lugar estava cheio. As pessoas continuaram chegando e chegando pra vê-los. O lugar ficou bastante quente com toda aquela gente. Frank e eu nos entusiasmamos, porque no início pensamos “ai meu Deus, esse é o maior desastre que já vimos”. Mas no fim, foi um triunfo. Foi fabuloso. Eles simplesmente ganharam as pessoas com sua música. E essa foi a primeira vez que nós os vimos. Depois do show, fomos ao camarim, e eu acho que Frank disse a eles “vocês vão ser grandes!” A banda era formada por garotos ainda muito jovens. Isso foi em 1981.”


(Bono e Frank Barsalona, em 2001)

Agora um trecho do que o Frank Barsalona fala:

Na primeira vez que os vi, fiquei realmente impressionado. Eles eram realmente muito especiais. Eles eram sensacionais tocando ao vivo. Quando eles apareceram naquela primeira vez no Ritz, não ganharam aplausos quando foram anunciados. Jerry Brandt estava com medo que o público fosse vaiar. E acabou sendo uma das formas mais incríveis de ver uma banda pela primeira vez, porque o público não conhecia e nem ligava pra eles, mas no fim do show eles foram literalmente ovacionados. Eles receberam US$ 2.300 por aquele show. Depois disso, fiquei pensando “bem, como faço pra que isso aconteça sempre?”´. É claro que isso era algo que acontecia automaticamente com o U2.”

Para ler a primeira parte do especial, clique aqui.

4 Replies to “Especial U2:Show, Parte 2”

  1. Valeu MT pelas suas matérias, adoro ler tudo que vc escreve. =D Sorte dessas pessoas que viram U2 tão jovens, tenho certeza que esse público nunca deve ter esquecido deles!

  2. É mesmo Louise. Achei o máximo os nomes provisórios das músicas que o cara escreveu no tal guardanapo, e que depois descobriu os nomes corretos. Isso mostra o quanto aqueles quatro garotos irlandeses realmente impressionaram.

Comments are closed.