Tropeços e acertos na moda do Globo de Ouro

Tropeços e acertos na moda do Globo de Ouro

Nicole Kidman, mais uma vez, brilhou pela elegância, assim como Cameron Diaz e Sarah Jessica Parker. Entre os escorregões, o que mais chamou a atenção foi o de Lara Flynn Boyle, que apareceu vestida de bailarina, com direito a tutu e laços nas pernas

Nova York – Com os ecos de 11 de setembro de 2001 ficando para trás, as cerimônias de premiações de Hollywood voltam a ser palco de experimentações na área do estilo. A 60ª edição do Globo de Ouro, realizada ontem no hotel Beverly Hilton, na Califórnia, levou ao tapete vermelho vários erros e acertos, além de mostrar um bom panorama do poder dos produtores de moda sobre as estrelas.

Nicole Kidman é, de longe, a mais elegante estrela de Hollywood. A australiana, que há várias temporadas vem acertando no tom de seus looks, apareceu com um tomara-que-caia justo da Yves Saint Laurent em tom pastel (lilac). Embora os enormes brincos indianos que testavam a resistência os lóbulos da orelha tenham sido um pouco exagerados, ela apostou na maquiagem correta (simples e delicada) e em um penteado natural e discreto, com os cabelos presos em um pequeno coque, adotado também por outras estrelas.

A diva fashion e mãe recente Sarah Jessica Parker, estrela de Sexo e a Cidade, mostrou a recuperação da silhueta e aproveitou para colocar um ajustado corselet usado com calça – um look criado pelo badalado Hedi Slimane. Sua colega de elenco, Kim Cattral, apareceu elegante em um vestido vermelho decotado e justo de Valentino. Cameron Diaz também encantou, em um minivestido Chanel preto.

Para quem quisesse apreciar um trabalho incrível de alta-costura, a atriz Maggie Gyllenhaal apareceu em um vestido branco da Chanel couture todo formado por rosas bordadas, feitas à mão. O vestido curto tinha uma gola rulê de flores e um delicado laço cor-de-rosa na cintura alta.

Alguns dos erros, no entanto, acabaram chamando bem mais atenção do que os acertos, com o prêmio principal indo para Lara Flynn Boyle, que deu o que falar ao escolher uma roupa de bailarina (com direito a laços amarrados pelas pernas). A ex-namorada de Jack Nicholson destoava do clima geral do evento e justificava a escolha dizendo em entrevistas que sempre sonhou em ser bailarina. “Se gostarem ou odiarem, tudo bem, pelo menos estou me divertindo”, disse ela. Hmmm. O nome do estilista responsável pela idéia é David Cardona.

Curiosamente, a ousadia foi amplamente comparada pela imprensa americana ao famoso vestido de Björk imitando um cisne. A comparação é bem infeliz, porque Flynn Boyle está longe de ter a autenticidade da cantora islandesa.

Outra que também derrapou foi Debra Messing, a Grace do seriado Will & Grace. Ela usou um vestido de Vera Wang (a rainha dos trajes de casamento nos Estados Unidos) que ressaltava o pouco busto e revelava mais pele do que o necessário. Outra que destoou foi Sharon Stone, cujo comportamento espalhafatoso também causou surpresa. Ela vestiu um traje de inspiração sadomasoquista de Versace, com saia de faixas pretas, usado com botas. Ligeiramente inapropriado para a idade dela.

Entre os homens, Bono mostrou que parou no tempo ao insistir no look de óculos coloridos (um Bulgari de lentes azuis), acreditando que o acessório iria cair bem com a falta de gravata para seu smoking. Seu colega de banda, The Edge, também deslizou ao manter o gorro preto.

Guto Barra, da Planet Pop

Os comentários estão encerrados.