Music can change the world because it can change people.

Bono

ULTRAVIOLET-U2 Brasil

você está em
Notícias

Voltar
lista de notícias

1 dezembro 2002 19:27

por: Mirrorball

A saga do esquenta-pescoço

0 comentários
532 visitas
Geral

Bruno Porto

Eu me considero um dos inventores do mullet. Acho que os responsáveis somos eu e o Patrick Swayze”, brincou certa vez Bono Vox. O vocalista do U2 e o ator de “Dirty dancing — Ritmo quente” foram, sem dúvida, dois dos responsáveis (ou seriam culpados, a palavra certa?) pela popularização do penteado, curto na frente e longo atrás, durante os estranhos anos 80. Apesar de ter vivido o seu boom naqueles dias, quando blazer com ombreiras e tecnopop baba imperavam, o mullet nasceu bem antes. Mais especificamente no Egito Antigo, segundo o divertidíssimo livro, de excelente design gráfico, “The mullet — Hairstyle of the gods” (Bloomsbury, US$ 15,95), recém-lançado nos Estados Unidos.

Dobradinha do americano Mark Larson, artista gráfico premiado (e antigo adepto do mullet), com o inglês Barney Hoskyns, autor de livros sobre música e cinema e jornalista da revista “Mojo”, “The mullet” afirma que os primeiros a adotar o penteado foram os egípcios, que usavam perucas feitas de lã ou linho entrelaçado, curtas na frente e longas atrás. O livro acompanha a história do mullet até os dias atuais e mostra, com fotos e ilustrações, que o corte também fez a cabeça de assírios, celtas, franceses da virada do século XVIII para o XIX (Napoleão teria sido um adepto) e índios americanos. O século XX ameaçava terminar sem vestígio de mullet quando David Bowie o ressuscitou no final da década de 60. Seria a primeira celebridade pop entre muitas a cometer o penteado.

Nos anos 80, o mullet atingiu o ápice de sua popularidade, com músicos, atores, atletas e lutadores de luta-livre americanos aderindo em massa ao corte. O livro traz uma impagável galeria com anônimos e muitas dessas celebridades. Gente como Lou Reed, Paul McCartney, Hulk Hogan, Barry White e Mel Gibson, cada um com um penteado mais, hum, peculiar que o outro.

Outra boa idéia dos autores foi traçar os diversos perfis dos usuários de mullets — que também são chamados pelos americanos de short-long (curto-longo) e neckwarmer (esquenta-pescoço) — apontando suas características. O Estrela de Cinema (o livro cita Mel Gibson, Kurt Russel e Jean-Claude van Damme), por exemplo, é ideal para “perseguições de carro, cenas de sexo e qualquer outro momento cinematográfico que exija um cabelo extra atrás”.

Tão engraçado quanto a galeria e os perfis é a história em quadrinhos “Mulletman”, sobre um super-herói cuja parte de trás do cabelo é tão longa quanto a capa do Super-Homem, e os anúncios de produtos fakes inspirados no penteado, como o xampu Sho-Lo, que vem em dois frascos separados, um para o cabelo longo e outro para o curto. Apesar de ter sido moda no mundo todo, geralmente o mullet é associado aos Estados Unidos. Num dos depoimentos do livro, The Captain, do grupo de hip-hop Beastie Boys, diz que o penteado é parte da cultura do Tio Sam. “O mullet é tão americano quanto picapes com porta-rifles, Wal-Marts e concursos de garotas com camisetas molhadas”. Os Beastie Boys, aliás, escreveram uma música chamada “Mullet head”.

Depois de examinar a galeria de fotos do livro, fica a pergunta: o que leva alguém a usar um mullet? Os autores arriscam uma explicação no prólogo. “Ele (o mullet) permite que qualquer pessoa se torne duas. Quem o usa parece uma pessoa normal vista de frente, mas de trás se torna uma mistura de guitar hero com viking”. Então fica combinado assim.

Comentários

Não há comentários.

Busca

Assine

Lista de Discussão

Converse com os fãs do U2 por .

Redes Sociais

Facebook Twitter Google Plus RSS

Anúncios

Coloque seu anúncio aqui.

Contribua

Se você tem alguma dica de notícia sobre o U2 que ainda não publicamos, por favor envie-nos um email. O nosso endereço é dicas@ultraviolet-u2.com.

Por favor indique a fonte da notícia e, se houver uma foto que ilustre a notícia, anexe a foto ao seu email.

Nós Apoiamos

GRAAC Conheça mais sobre o GRAAC. Assista o vídeo. Você também pode ajudar. Faça uma doação ao GRAAC.
Ultraviolet